Em 2003 a Fox nos “presenteava” com a adaptação cinematográfica do Demolidor. Estrelando Ben Affleck e com Michael Clarke Duncan como Rei do crime, a humanidade jamais perdoará nem a Fox nem o Affleck de tamanho atentado contra o bom senso.
No entanto, é em 2015 que a Netflix nos presenteia (dessa vez sem aspas) com aquela que talvez seja a melhor adaptação de personagem das HQs que já vimos. Demolidor (Marvel’s Daredevil) tem um elenco desconhecido, porém ótimas atuações e uma excelente trama. A série ganhou o meu respeito assim como o de todos os fãs do herói, ou quem nunca tenha lido uma HQ sequer do personagem.
Diferente de muita coisa que já vimos por ai, a trama de Demolidor não está ali de forma jogada, apenas para desencadear cenas de lutas legais e perseguições policiais. Aqui nós não temos personagens vazios sendo levados a atitudes extremas sem nenhuma causa aparente, a trama toda gira em torno da construção dos personagens, servindo hora como um fio condutor do desenvolvimento dos mesmos, hora como carro chefe, tornando os personagens peças usadas para o desenvolvimento da mesma.
O clima urbano de Demolidor facilita muito a adaptar a atmosfera policial que impera em algumas algumas das HQs do personagem. A história não se desenvolve de forma aleatória e cada minúsculo evento da trama possui um proposito maior, onde tudo se encaixará no final. Tudo é tão bem colocado no tempo certo, de fato podemos dizer que nada é gratuito, nem sequer as cenas de ação entre Murdock e os bandidos da Hell´s Kitchen.
A série tem uma visual bem pesado, denso, caótico e extremamente urbano(obviamente). Diferente da maioria, aqui a necessidade de um clima mais “dark” faz se extremamente compreensível, uma vez que a série flerta mais com o drama do que com a “brincadeira de ser herói” que a maioria das outras tanto explora.
Nós somos apresentados a uma Nova York suja, largada e entregue a criminalidade. Ora, estamos no Hell´s Kitchen, e não no Brooklyn Heights. Matt Murdock sabe onde vive, sabe quem é o que precisa fazer para mudar a situação de sua cidade, isso leva um homem com deficiência visual, fisicamente comum mas com todos os outros sentidos aguçados e travar uma batalha contra criminalidade que nos proporcionará excelentes momentos de violência gráfica justificada. Isso somado a outros fatores, faz com que um homem de mãos vazias e vestido de pijama preto pareça realmente ameaçador.
Outro ponto de grande destaque é a projeção dos clássicos personagens das HQs, que foram muito bem representados durante toda a primeira temporada da série, destaque para Wilson Fisk, interpretado por Vincent D’Onofrio, falaremos dele mais adiante.
A série tem Charlie Cox como o protagonista Matt Murdock, Cox em nenhum momento deixa a desejar nem como Murdock nem como Demolidor.
Com trejeitos específicos e uma personalidade intensa, ele nos entrega um Murdock destemido, porém ainda ingênuo, de fato ainda trilhando a jornada do Herói.
Temos também Karen Page interpretada pela belíssima Deborah Ann Woll, Claire Temple encarnada pela famigerada Rosario Dawson e Foggy Nelson que fica por conta de Elden Henson, aliás, um de seus melhores trabalhos.
Como já dito antes, todos os personagens são muito bem desenvolvidos e com excelentes tempo de tela, mas devemos dar um lugar a parte para o afamado Wilson Fisk, o Rei do Crime.
Vincent D’Onofrio faz um trabalho simplesmente espetacular, não apenas devido ao seu preparo físico para ganhar mais massa corporal para o papel, mas porque D’Onofrio simplesmente desapareceu completamente para dar lugar a Fisk.
A trajetória de ambos os personagens antagônicos é muito bem construída, nos fazendo entender os “porquês” de todas as suas ações. É fácil de entender, pois Fisk não é o rei do Crime logo no começo da série, assim como Murdock também não é o demolidor, tudo o que temos ali são arremedos do que eles se tornarão, uma projeção opaca dos resultados dos caminhos que ambos tomarão, sem medo podemos dizer que principalmente nisso a série acerta muito bem.
Por fim podemos concluir que a série do Demolidor pela Netflix tem futuro, aliás, talvez mais que isso, ela pode servir de base para as outras séries do universo compartilhado que a Marvel esta estendendo dos cinemas pras telinhas.
Criada por Drew Goddard e exibida pela Netflix, Demolidor encerra sua primeira com chave ouro, então se nada do que você leu aqui é motivo o suficiente para dar uma conferida, faça o ao menos pelos easter eggs, você não irá se arrepender.

Compartilha, vai