Atualmente estamos vivendo a era de ouro dos Nerds, o cinema de cultura pop nunca esteve tão em voga nos últimos anos, algo que era praticamente inimaginável pra uma criança nerd lá nos anos 90. No entanto, antes de termos a chance de ver nossos personagens em live action, já era uma grande vantagem tê-los sendo animados nas telinhas (fosse qualquer o estilo de animação), dessa forma, foram eras e eras de diferentes tipos de animações, onde passamos pelos famosos “desenhos desanimados” até chegarmos nas CGIs mais modernas.

Hoje listamos algumas das melhores séries animadas de super-heróis que já foram ao ar, sendo ‘clássicas’ a palavra mais apropriada para defini-las.

Liga da Justiça /Liga da Justiça Sem Limites (Justice League/Justice League: Unlimited)

Exibido inicialmente nos EUA em 2001 pela Cartoon Network, foi apenas em 2002 que a série animada da Liga da Justiça veio chegar por aqui nas terras tupiniquins.

A série foi produzida pela junção da Warner Bross e a DC Comics e adaptou uma série de arcos importantes das HQs clássicas da DC. A primeira temporada, que continha 26 episódios, mostrava a união dos nossos heróis em uma batalha épica contra uma raça alienígena que invadia a terra sorrateiramente, sendo essa primeira temporada mais voltada para a apresentação e o desenvolvimento dos personagens, destaque aliás para o Aquaman, que a série conseguiu transformar de um personagem extremamente bucha em algo extremamente foda.

Com mais duas temporadas (Que somam 65 episódios) intituladas de Liga da Justiça Sem Limites, essas novas temporadas conseguiram tornar uma série que já era espetacular em algo ainda melhor, com tramas mais adultas e por vezes até arranhando certas questões políticas, éticas e morais. A série foi exibida até fevereiro de 2015, pelo SBT, aqui no Brasil.

Batman do Futuro (Batman Beyond)

Com os mesmos traços da Série animada da Liga da Justiça, Batman do Futuro foi uma de suas predecessoras tendo sua estreia originalmente em 1999, também resultado da união DC/Warner.

Se você analisar, verá que muitos dos traços não só da série do Batman (o clássico) quanto do Superman são praticamente iguais, isso porque a DC tem algo que chamamos de DC Animated Universe (ou DCAU), ou seja, todas as séries se passam no mesmo universo, assim como HQs, sendo que esse conceito se fixou ainda mais com a chegada de Batman do Futuro que viria a “inspirar” a Criação da Liga da Justiça, mais tarde, sem contar o dedo do Bruce Timm em todas elas.

Na trama, Bruce Wayne já está velho e o pinto não sobe mais e não veste mais o manto do morcego e apenas vê Gotham afundar de vez enquanto precisa de um novo Batman. É ai que a vida lhe sorri quando ele acaba conhecendo (por acidente) um garoto chamado Terry McGinnis, com quem ele acaba criando certa afeição, Bruce então transforma o hiperativo e impulsivo McGinnis no novo guardião de Gotham, só que bem diferente do Batman original, pois esse conta com vários gadgets tecnológicos sendo seu próprio uniforme uma espécie de armadura inteligente, o que torna esse novo Batman mais Homem de Ferro que propriamente o Batman.

Apesar de possuir um tom meio sombrio, a série tem vários momentos de descontração, em sua maioria causados pelo próprio Terry, que bem diferente do amargurado Wayne é bem brincalhão de descompromissado.

A animação ficou no ar até 2001 (nos EUA), contando ao todo com 52 episódios e tendo gerado um longa-metragem intitulado Batman do Futuro: O retorno do Coringa.

Batman : A Série animada (Batman: The Animated Series)

Bem, no tópico anterior eu expliquei do que se tratava o DC Animated Universe (Universo Animado DC), pois bem, Batman: A Série Animada foi a primeira a se passar dentro desse conceito, ou seja, podemos dizer que o conceito nasceu junto com a série.

Tendo ido originalmente ao ar 1992 pela FOX, a série mostrava o dia a dia do Homem Morcego em sua cidade Natal, Gotham City, onde ao longo da série somos apresentados a sua galeria de vilões e a cada episódio ficamos mais por dentro da personalidade do mesmo.

Com os traços baseados nos desenhos do Bruce Timm, o estilo visual acabou fazendo escola e influenciando todas as outras séries que estavam por vir, como é o caso de Superman: A Série animada de 1996, a Liga da Justiça de 2001 e o próprio Batman do Futuro de 1999, que a gente acabou de falar.

Analisando a animação, nota-se um visual meio atemporal, onde não conseguimos definir com precisão em que época se passa a série, isso se dá pelo alta influencia que os produtores a animadores tiveram na época tanto dos quadrinhos (Batman: O Cavaleiro das Trevas Retorna) quanto do cinema (Batman de 1989 e Batman: O Retorno de 1992, dirigidos pelo Tim Burtom).

A série animada foi bem recebida pela crítica da época, tanto que chegou a ganhar 4 prêmios Emmy (Mais ou menos um Oscar, só que voltado para programas e profissionais de televisão).

Superman : A Série animada (Superman : The Animated Series)

Com uma musiquinha de abertura que ainda me dá arrepios (de nostalgia), essa animação foi responsável por me fazer procurar e gostar mais das HQs do azulão.

Pois é, estamos nós aqui 4 anos depois da estreia de Batman: A Série Animada, quando a parceira DC/Warner nos surpreende de novo com mais uma animação epicamente foda.

Superman: A Série Animada possuía o mesmo formato da série do Batman, com pequenas diferenças no estilo visual, pois aqui temos uma Metrópolis sempre muito colorida e vívida, diferente da Gotham noturna e sinistra do Batman. Um dos detalhes mais legais dessa série é o fato dela mostrar a origem do homem de aço desde o início, ou seja, a série começa no primeiro episódio mostrando apenas Crypton e seu estilo de vida, até que algo dá errado e Jor-El resolve mandar seu filho pra outro planeta prevendo o pior e só então, com Kal-El caindo na terra e sendo encontrado pela casal Kent é que temos alguns saltos no tempo até que Clark chegue a sua idade adulta.

A série possui muitos episódios legais, destaque para os crossovers, em especial o episódio em que Superman se encontra com o Batman (Só posso vir até aqui, para evitar spoilers).

O Homem Aranha (Spider-Man : The Animated Series)

Conhecida em terras tupiniquins como Homem-Aranha: A Série Animada, a animação chegou aqui em 1994, tendo durado 5 anos e possuindo ao todo 5 temporadas.

A Série é considerada a melhor animação do amigão da vizinhança, sendo também avaliada como a mais bem sucedida de todas (ao menos até o momento em que escrevo esse post), claro que há outras muito boas (como Ultimate Homem-Aranha), mas falaremos disso em breve em outro post.

O Desenho foi produzido pela Marvel Productions e tinha como produtor executivo, revisor e consultor nada mais nada menos que o Steve Jobs dos Quadrinhos, o copiador de ideias alheias cara que se inspira nos colegas, o excelsior Stan Lee.

No desenho, Peter Parker tem aparência de um “trintão”, bem diferente do que é representado na atualidade, como sendo um aborrecente adolescente espinhudo. Essa animação foi a mais fiel de todas em relação as HQs do cabeça de teia, incluindo em seus episódios as adaptações de vários arcos clássicos do Herói como: A “morte” da Gwen Stacy (Que na animação foi substituída pela Mary Jane), A Saga dos Clones e até a “grandiosa” Guerras Secretas.

X-Men (X-Men: Animated Series)

Trazendo pras telinhas os mesmos conflitos éticos, morais, raciais e religiosos que já estávamos acostumados nas HQs, em 1992 estreava a série animada dos nossos queridos X-Men.

Produzida pela Marvel Comics em conjunto com Saban Entertainment, a série contou com 5 temporadas ficando 5 anos no ar e só terminando em 1997, contando ao todo com cerca de 76 episódios. A animação não teve o trabalho de nos apresentar do zero todos os personagens, deixando fluir de maneira natural todos os conceitos dentro do universo mutante, assim como o próprio conceito do que é ser um mutante. Muitos personagens clássicos estavam ali; Cliclope, Wolverine, Noturno, Gambit, Fera, Magneto dentro uma infinidade de outros.

A animação dos episódios tinham o mesmo estilo de O Homem Aranha: A Série Animada, sendo que inclusive teríamos um crossover em 1994 entre o cabeça de teia e os mutantes, nos episódios 4 e 5 da segunda temporada da série do Aracnídeo.

Em 2000 foi ao ar X-Men Evolution, que diferente de sua antecessora, parecia mais querer recrutar novos fãs que agradar os fãs da velha guarda da série original, sendo essa com uma pegada mais jovial e mostrando todos os personagens ainda lidando com a adolescência. Mas foi só em 2009 que o negócio degringolou de vez com a estreia de Wolverine e os X-Men, onde tínhamos um visual ainda mais cartunizado e tramas bem menos interessantes, mas enfim, essas séries são assunto pra outro post.

Nascido em uma longínqua galaxia jamais explorada pelo homem, desde pequeno coleciona quadrinhos, maratona games oitentistas, adora cinema indie e as vezes até se aventura na escrita de contos Scifi. Tudo isso enquanto aguarda sua volta pra casa.

Compartilha, vai