Mas olha só que coisa, ano passado não tivemos um só sequer post sobre HQs, mas como eu havia prometido cá estou como o escravo do site que sou, para lhes trazer mais um de meus posts magníficos.

Aqui veremos as 15 HQs mais emblemáticas que já foram lançadas na história da humanidade, e talvez as únicas também já que os quadrinhos atualmente estão um lixo. Enfim, sente-se, leia e divirta-se com nossa seleção, certeza que você vai querer ler todas.

15º Homem de Ferro – O Demônio na garrafa

Umas das razões para que Robert Downey Jr tenha se identificado tanto no papel de Tony Stark talvez seja porque Downey e Stark sejam a mesma pessoa. Sim, meus caros amigos, as semelhanças entre ator e personagem são várias, como por exemplo o fato de ambos serem gênios, playboys, milionários e filantropos, cada um de seu jeito, é claro. Porém tem algo que ambos compartilham e que não teve muita atenção nas representações cinematográficos de Stark, que é o seu problema com o alcoolismo, explorado em Homem de Ferro – O Demônio na garrafa de 1979, a HQ era uma medida da Marvel pra trazer os seus heróis para um nível de realidade maior, visto que até então tudo que víamos de sua concorrente eram deuses entre humanos, heróis sem nenhum conflito existencial ou problemas sociais.

Considerada por muitos a saga mais importante do Homem de Ferro nos quadrinhos, O Demônio na garrafa foi escrita por David Michelinie e desenhada por John Romita Jr e Carmine Infantino.

14º Demolidor- A queda de Murdock

Com a arte peculiar de David Mazzucchelli e roteirizada por Frank Miller, essa HQ é uma das melhores já escritas do atrevido Demolidor.

A trama não é complexa, porém muito bem desenvolvida. Uma ex-namorada de Matt Murdock acaba revelando a identidade do herói em troca de drogas, essa identidade acaba chegando até os ouvidos de Wilson Fisk, vulgo Rei do Crime. Logo após comprar a informação, Fisk encomenda que todos que saibam da identidade de Murdock sejam assassinados, é ai que a vida de Murdock vira do avesso, pois Fisk irá leva-lo aos limites de sua sanidade antes de mata-lo. Nessa história do Demolidor vemos o herói como nunca visto antes, vulnerável, perdido e surtado. Miller explora até a última gota os recursos narrativos criando com facilidade uma empatia muito grande pelo herói e sua situação, de fato um trabalho muito bem elaborado não podendo ficar de lado os desenhos de Mazzucchelli, que tanto trabalha bem as cenas de ação quanto as expressões necessárias para dar a carga emocional correta nos quadros de drama.

13º A última caçada de Kraven

Essa lenda urbana todo mundo conhece. Quem é fã de quadrinhos com certeza já deve ter ouvido falar que essa estória na verdade foi escrita originalmente pra ser uma HQ do Batman em que o Coringa matava (em seus sonhos) o Morcegão e retornava ao seu estado de lucidez. A história não foi aprovada e acabou sendo adaptada para uma conto em que Kraven (O caçador) mata o Homem-Aranha e assume seu lugar. A HQ é muito densa, com uma fina análise filosófica sobre o existencialismo humano e o medo da morte diante de sua inevitabilidade. Com roteiros de J.M Dematteis e desenhos de Mike Zeck, o que temos aqui é uma HQ com um dos finais mais brutais (Tanto gráfica quanto psicologicamente) que se pode imaginar. Vale muito pelo história e pela curiosidade.

12º Hellblazer – Hábitos Perigosos

Que Jhon Constantine é uma fdp todos sabemos, mas nessa HQ temos uma história mostrando um outro lado de toda sua escrotice. Constantine descobre que tem câncer no pulmão e está em estado terminal, pra piorar os demônios estão ansiosos por sua morte pra poderem se apoderar de sua alma no inferno, já que o cabra não é lá muito boa gente e dificilmente entraria no céu. Com essa premissa a história se desenrola, o ocultista trapaceiro como sempre usa e abusa de vários de seus métodos dúbios pra se livrar da morte, porém sem sucesso.

Os desenhos ficam por conta de Will Simpson, com um traço rabiscado e feições ora caricaturadas ora assombrosas, temos quadros sujos e uma estética digna do “Caçador de demônios”. Garth Ennis consegue criar uma roteiro adulto mas sem perder o lado imaginativo de uma criança, trabalhando bem os personagens e levando o próprio Constantine a revisitar seus reais valores morais e refletir sobre o sentido da vida diante de seus últimos minutos como um ser carnal. A HQ tem um final que vale a pena, bem ao estilo Constantine de ser.

11º O monstro do pântano

Um homem que se transformou em um monstro ou um monstro que pensa ser um homem?. Há um tempo atrás a Panini republicou com base na fase clássica, o Monstro do Pantano. Pra quem não conhece, a HQ escrita por Allan Moore conta a história de Alex Holland, um homem que acaba se transformando em uma espécie de “planta viva”, no entanto com sua reformulação publicada em 2007, Holland se não se torna a tal criatura, o que acontece é que a criatura pensava ser Holland, o que o leva a uma crise de identidade ferrada.

Moore prova que é um excelente escritor a medida que conduz uma história instigante, obscura e adulta. Contamos também com os desenhos de Steve Bissette com arte-finalização de John Totleben.

10º X-Men – a Era do apocalipse

Em 2012 saiu uma republicação das saga dos anos 90, A Era do Apocalipse. A história mostra uma linha de tempo alternativa onde as coisas se saíram bem diferentes do que conhecemos no universo tradicional. Aqui, o professor Xavier não chegou a instruir os X-Men e o mundo vive um apocalipse total mergulhado em um caos sem igual. Eu recomendo particularmente que leiam primeira a versão original de 1996, depois fiquem a vontade para pegar o relançamento de 2012, o aproveitamento será melhor.

9º X-Men-Dias de um futuro esquecido

Esqueçam Wolverine voltando para os anos 70, Kitty Pride com poderes de transportar consciência no tempo e Magneto todo pimpão combatendo Sentinelas no futuro, se você é daqueles que só assistiu ao filme recente da Fox e nunca leu a HQ na qual o mesmo foi baseado, não sabe o que está perdendo. Com a mesma premissa porém algumas alterações, esse arco foi um marco na histórias das HQs dos mutantes. Com o roteiro de Chris Claremont e os desenhos do magnifico John Byrne, Dias de um futuro esquecido foi responsável pela ascensão das HQs dos X-Men dentro da Marvel e não é à toa, o trabalho conjunto de roteiro e desenhos nos entregam uma história fantástica, emocionante e inspiradora.

Ah, Wolverine…Seu patético ser orgânico.

8º Sandman – A estação das brumas

Lembro-me da experiência de ter lido Sandman pela primeira vez, é algo difícil de se esquecer. Escrita pelo brilhante Neil Gaiman, esse arco da Graphic Novel ilustrado por Mike Dringenberg já faz parte da minha vida, juntamente com todas as outras obras citadas aqui.

Estação das Brumas é um arco de 7 capítulos de Sandman, HQ que foge de todos os clichês possíveis e com facilidade consegue se tornar uma obra memorável e inesquecível através dos anos. A trama conta a história de Sandman, também conhecido como Sonho, Morpheus e tantas outras denominações história adentro. Sandman é um dos 7 Perpétuos, sendo seus 6 irmãos; A Morte, o Destino, a Destruição, o Desespero, o Desejo e o Delírio. Dessa forma, vemos o tempo inteiro histórias não atreladas ao tempo ou espaço, podendo se passar em qualquer lugar ou época tendo muitas vezes Morpheus apenas como coadjuvante de tudo.

O arco Estação das Brumas é um dos mais aclamados pelos fãs de Gaiman e não é à toa, de longe o melhor arco que li. É muito difícil tentar compendiar toda a experiência de ler a HQ em tão poucas linhas, por isso sugiro que corra e vá conferir pessoalmente, é uma leitura instigante, envolvente e encantadora a medida que você mergulha dentro do universo onírico criado por Gaiman. Não perca tempo, vale muita uma conferida, não só o arco em questão mas toda a HQ.

7º Watchmen

Sendo essa HQ destinada ao público adulto, você terá que esquecer as fantasias bem elaboradas, entradas triunfais e Super Heróis unilaterais, em Watchmen o que temos é a mais pura síntese da nona arte com um pé na realidade e o outro na ficção.

Concebida por Alan Mooree e Dave Gibbons essa Graphic Novel diverge completamente de tudo o que víamos quando crianças quando o assunto era o conceito do herói clássico. Ora, aqui não temos (Com exceção do Dr.Manhattan) seres super poderosos vagando por ai sem causar nenhuma interferência na rotina da sociedade ou mesmo na política. Moore nos entrega um questionamento claro e bem elaborado; Se existissem super heróis na vida real, como sua existência afetaria nosso dia a dia? Desta forma, com personagens densos, diálogos intricados e uma boa dose de violência bem contextualizada, Watchmen ganha todo o nosso respeito em consegue fácil seu espaço entre as HQs da maior relevância de todos os tempos, considerada por muitos inclusivo a de maior relevância dentre todas. Com certeza uma leitura que lhe garante seu tempo bem empregado.

6º Preacher

Você acha que a sériezinha do Seth Rogen foi “ofensivozinho”? então meu amigo, não queira ler Preacher.

Com o roteiro do Garth Ennis e os desenhos do Steve Dillon, essa HQ é uma das mais (pra não dizer a MAIS) polêmicas que já li na vida. Cada página e diálogo são repletos de sátira, ou referencias direta e indiretas da forma mais ofensiva possível tanto a figuras históricas quanto religiosas. Falando em religião, boa parte de toda essa “subversão” que se torna o simples de ato de ler Preacher se dá pela maneira como as religiões são tratadas na HQ, a começar pelo enredo. Jesse Custer é simplesmente um ex-padre que desiste de tudo e não tá nem ai pra nada, ele acaba sendo possuído por uma entidade que lhe confere a ‘Voz de deus’, sendo assim, tudo o que Jesse disser acaba sendo imediatamente efetuado por qualquer um que ouça.

Na história ele é acompanhado de Tulipa, sua irmã/rolo e um vampiro muito louco, Cassidy. Preacher não respeita religião, divindades ou qualquer coisa que você considere sagrado. Então se você é do tipo religioso e tem medo do peso da mão divina, passe longe dessa HQ, mas se é um fã de uma boa história fechada e descompromissada, vá nessa que a HQ é foda.

5º Batman – Lenda Urbana

Escrita em 2003 por Bill Willingham, com desenhos de Tom Fowler, Lenda Urbana pode ser descrita como uma das melhores (opinião pessoal, parem com esses ataques de pelancas) HQs fechadas do eterno Cavaleiro das Trevas.

A HQ começa com Batman caindo de cima de um prédio, aparentemente ele estava lutando com algum vilão que o superou e acabou o derrubando de lá. Durante a Queda o Morcego acaba batendo várias vezes nos relevos do prédio antes de cair na calçada, ao ser ajudado por um casal ele demonstra ter sofrido uma forte pancada na cabeça e nem sequer lembra quem ele mesmo é, aos pouco sua memória retorna e mesmo estando todo machucado ele inicia uma epopeia por Gothan City em busca de justiça e de honrar seu manto do morcego. Umas das melhores histórias fechadas do Batman que já li. Tem uma ótima narrativa e Fowler não deixa a desejar nos desenhos, durante toda a trama o leitor fica se questionando sobre muitas coisas que parecem estar “fora do lugar”, mas o melhor mesmo vem no final com um plot twist honesto.

Se você é fã do Batman, leia essa HQ, se você não é fã do Batman…Leia essa HQ assim mesmo.

4º O Cavaleiro das Trevas

Criada na era de ouro de Frank Miller, O Cavaleiro das Trevas é considerado por muitos sua obra prima.

A HQ se passa em um futuro próximo onde Bruce Wayne se aposenta do manto do morcego, ele se encontra velho e cansado. No entanto com as ondas de criminalidade crescentes e a situação da segurança pública se agravando cada vez mais, o velho espirito de herói toma conta de Bruce que volta à ativa como o velho Batman e é ai que a HQ começa. A trama tem um tom pesado, muito bem colocado tanto pelos argumentos de Miller quanto pelos desenhos de Klaus Janson e as cores de Lynn Varley. Frank inseri um evidente debate político na trama desconstruindo seus personagens e os reconstruindo sob uma outra óptica.

Taí uma que você não pode deixar de ler, confira a verá que não foi tempo perdido.

3º A piada mortal

Batman e Coringa são duas peças antagônicas de um drama eterno. Ambos produto do medo e de um trauma, os dois sempre se enfrentaram e inúmeras vezes quase mataram um ao outro. Mas e isso acontecesse algum dia? E se o Coringa realmente matasse o Batman ou o contrário, e se o Batman matasse o Coringa?

A Piada Mortal é um clássico de 1988 do mago dos quadrinhos, Alan Moore com os desenhos de Brian Bolland. Moore nos apresenta uma história tensa, densa e com uma carga dramática absurda. Aqui nós temos um Coringa realmente doentio, um palhaço insano que chegou ao auge do fim de seus escrúpulos e o declínio de qualquer apelo moral que ainda pudesse existir dentro de sua mente perturbada. Batman está atrás do Coringa, mas dessa vez está sendo difícil encontra-lo, enquanto essa ‘caçada’ é mostrada vemos em paralelo um pouco da vida do palhaço. Coringa é mostrado como uma pessoa normal, com a esposa grávida e esperando um bebê ele vive maus bocados para conseguir um trabalho e mudar sua atuação situação, mas as coisas não saem bem como o planejado e o resto, bem, não vou estragar a experiência, você terá que ler.

HQ super recomendada, leia e tire suas próprias conclusões, afinal de contas…Será que a diferença entre você o Coringa é apenas um dia ruim

2º Entre a Foice e o Martelo

Escrita por Mark Millar e desenhada por Dave Jhonson, Entre a Foice e o Martelo é uma daquelas histórias de deixar os olhos marejados, tanto por sua narrativa envolvente quanto pelos desenhos que estão magníficos e principalmente por seu final ao mesmo tempo extraordinário e emocionante. Nessa HQ a nave do Superman não cai no Kansas nos EUA, mas sim na Ucrânia de 1938, mudando assim completamente os rumos da história do herói e da humanidade que todos conhecemos. Os personagens estão lá, a personalidade do Superman também, mas tudo visto de uma outra perspectiva tendo desfechos completamente surpreendentes. Vale a pena a leitura, você não irá se arrepender.

1º O Reino do Amanhã

Uma obra prima de Mark Waid com desenhos de Alex Ross, O Reino do Amanhã é uma HQ inspiradora em toda a sua essência.

A trama se inicia com Norman McCoy, um pastor que acompanha os últimos minutos de seu amigo enquanto ouve suas histórias sobre visões de um iminente julgamento final. MacCoy logo é visitado por um ser sobrenatural, o qual o afirma que o mesmo será guiado pela fé do pastor no intuito de ambos compreenderem as intrínsecas variáveis que constituem as razões para esse final tão deprimente.

A história se desprende do senso comum, tanto das HQs padronizadas de Super-Heróis de hoje, quanto da época. Aqui temos uma história adulta, um drama denso e bem escrito, uma visão mais política e social de como a existência de pessoas superpoderosas realmente infeririam em nosso cotidiano, nossas decisões, em nossas vidas. Waid desenvolve os personagens de uma maneira extraordinária, nos fazendo comprar cada atitude por eles cometida. Já Ross não fica atrás, sua arte está simplesmente impecável nos dando a impressão o tempo inteiro de estarmos olhado para uma pintura dividia em pequenos quadros.

Se você ainda não leu essa HQ, não deixe de conferir essa obra de arte imediatamente.

“Ain, mas ‘O reino do amanhã’ não é melhor que a “Piada Mortal”!

“Ain, Watchmen deveria estar em primeiro nessa lista de merda!

“Ain, O Cavaleiro das Trevas é muito superior a ‘Entre a Foice e o Martelo’!

Dentre essas e muitas outras reclamações que com certeza surgirão, só posso dizer uma coisa…O choro é livre, pessoal.

Compartilha, vai